14/10/2019 às 16h39min - Atualizada em 14/10/2019 às 16h39min

Tendência para o Agronegócio e o papel da mulher do Agro na construção de um mundo melhor

Olá caros leitores, faz algum tempo que não escrevo nada, isso devido a vida corrida que todos temos. Mas hoje, eu tenho um assunto que acho que vale a pena compartilhar com vocês.

Nos dias 8 e 9 de outubro, aconteceu em São Paulo, a 4º Edição do Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio, e acreditem, o evento reuniu 2000 mil mulheres entre produtoras rurais, pecuaristas, engenheiras agrônomas e mulheres relacionadas de alguma forma com o agro.

Nos dois dias de evento, com o tema “AGIR – Ação Global: Integração de Redes”, foram apresentados os mais diversos temas, como a importância da governança dentro do setor do agronegócio, passando por todos os setores, agroindustrial, corporativista, cooperativismo. Ou seja, a importância da profissionalização das empresas rurais, do aprimoramento dos controles de gestão, do delineamento claro das estruturas internas e, tudo isso, permeado por fundamentos elementares como responsabilidade corporativa, transparência, equidade e prestação de contas de forma clara.

Também foram apresentados estudos de casos de sucessos, como da Cooperativa de Sucessos do Paraná, a Castrolanda; da Fábrica do Leite de Qualidade – Agropecuária Rex e da Indústria da Batata Bem Brasil, que hoje é responsável por 40% da comercialização de toda a batata congelada no mercado brasileiro.
 
Além disso, entraram na discussão a carne, grãos, café, cana, hortifrutigranjeiros, florestas e as principais lideranças das cadeias produtivas do Brasil e claro, não podia faltar, a visão dos principais consumidores dos produtos do Agro brasileiro.

De todas estas apresentações e discussões, podemos tirar algumas palavras primordiais e que estavam presentes em todos os discursos e, desta forma, podemos dizer  que norteiam o setor, são elas: sustentabilidade, responsabilidade ambiental, qualidade nos produtos, certificações agrícolas e rastreabilidade. Então produtor ou produtora rural, aqui fica a dica para que você busque mais informações sobre estes temas, porque em algum momento, com certeza, se estas palavras já não bateram na sua porta, em breve elas baterão.

Enquanto experiência pessoal, foi a primeira vez que EU participei do congresso e apesar da riqueza de informações, confesso que senti falta da troca de experiências, e esta também foi a fala de muitas mulheres com quem eu conversei. Isso ficou muito claro, quando aconteceu o quadro “Sua Voz no Agro”.

Neste quadro, 15 mulheres foram escolhidas para terem um espaço e contarem suas experiências e/ou deixarem um recado para as demais participantes. E, não é só porque também fui uma das 15 escolhidas, mas foi o momento mais esperado e mais rico do evento.

Foram 15 depoimentos de mulheres espetaculares e inspiradoras que falaram de suas dificuldades e superações, de seu amor pela agricultura, de sua luta em transformar as suas vidas e de outras pessoas de forma positiva, de enfrentar preconceitos e vencer barreiras.

Na minha fala, pude contar um pouco sobre a minha experiência profissional e pessoal de quando fui a idealizadora do Projeto “Mulheres do Campo: a força feminina em ação pelo desenvolvimento sustentável, que iniciou em 2009  e continua ser realizado pelo Clube Amigos da Terra – CAT Sorriso – MT e foi o primeiro projeto sobre empoderamento feminino no Agronegócio do Brasil.

Quando iniciamos o projeto, nós éramos um grupo de apenas 30 produtoras rurais e mesmo assim, resultou num impacto muito positivo em Sorriso, pois foi por causa deste projeto que muitos outros aconteceram e hoje Sorriso possui 25 propriedades rurais certificadas dentro do padrão de produção da Mesa Redonda da Soja Responsável – RTRS e se tornou uma vitrine para o Brasil e para o mundo, em termos de produção de soja responsável.

A minha intenção em compartilhar a história do projeto Mulheres do Campo foi de fazer uma paralelo e também uma provocação, pois se um grupo de 30 mulheres chegou tão longe, impactou tantas vidas, o que um grupo de 2000 poderá fazer e impactar se de fato, elas saíssem do congresso e partissem para a ação?

O que ficou claro para mim e para todas, depois de tantas histórias de superação e grandes exemplos,  é que a mulher é uma das principais ferramentas de transformação de qualquer setor em que ela está inserida. Por isso, mulheres, seja do agro, da indústria, da educação ou onde você estiver, acredite em si, no seu poder transformador e juntas vamos construir um futuro melhor para todos.

Link
Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp