29/01/2020 às 07h53min - Atualizada em 29/01/2020 às 07h53min

Mauro propõe que tarifas e serviços do VLT sejam rateados entre 141 municípios

Editoria com Jacques Gosh/RDNews
https://www.noticiaexata.com.br/artigo/mauro-propoe-que-tarifas-e-servicos-do-vlt-sejam-rateados-entre-141-municipios
Christiano Antonucci
O governador Mauro Mendes (DEM) deve defender uma solução polêmica para viabilizar a retomada e conclusão do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá e Várzea Grande.
 
Ocorre que o democrata planeja propor que os 141 municípios ajudem a bancar as obras, o que dificilmente será aceito pelos prefeitos. A proposta de rateiro, que ainda nem foi concretizada, já causa burburinho nos bastidores da política mato-grossense. A proposta foi revelada pela coluna Radar, da Veja Digital.
 
A solução vislumbrada por Mauro deve ser apresentada na audiência pública prevista para 10 de fevereiro e que  pode resultar numa decisão sobre a retomada das obras. Marcada pelo senador Wellington Fagundes (PL), presidente da Frente Parlamentar de Logística e Infraestrutura, a audiência deve reunir o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, o próprio governador, os prefeitos de Cuiabá  Emanuel Pinheiro (MDB) e Várzea Grande Lucimar Campos (DEM), além de senadores, deputados federais e estaduais.
 
Wellington disse que defende a conclusão da obra e já tratou do assunto em reunião anterior com o ministro Canuto, que garantiu o interesse do Governo Federal em dar uma solução para as obras do VLT, paradas há seis anos. O mesmo assunto foi levado ao secretário Nacional de Mobilidade Urbana, José Carlos Medaglia, cuja pasta lidera um grupo de trabalho encarregado de elaborar estudo para subsidiar decisão sobre a retomada do empreendimento.
 
Segundo o ministro, os contratos de financiamento do VLT se encontram ativos e disponíveis. São recursos contratados junto a Caixa Econômica Federal e BNDES e cuja utilização vai depender da avaliação final sobre a obra. Criado pela Portaria nº 1674, o Grupo de Trabalho prepara relatórios de serviços, equipamentos e obras entregues, alternativas tecnológicas, gestão financeira, gestão de riscos e perspectiva jurídica.
 
Já o senador Jayme Campos (DEM) e o deputado Emanuel Pinheiro Neto, o Emanuelzinho (PTB), assinam emenda no Plano Plurianual 2020/2024, no valor de R$ 790 milhões para conclusão do VLT. Ambos também são defensores da implantação do modal na Região Metropolitana.
 
Projeto
 
A obra do VLT foi projetada para ter uma extensão de 22 quilômetros, com dois itinerários. Segundo o projeto, o primeiro trecho ligaria o Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, até a Avenida Rubens de Mendonça, mais conhecida como Avenida do CPA, em Cuiabá. O segundo trecho sairia da Avenida Tenente Coronel Duarte até a região do Coxipó, também na Capital.
 
Outro Lado
 
O governador Mauro Mendes (DEM) negou a intenção em repartir com os 141 municípios de Mato Grosso as tarifas e serviços para fazer funcionar o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), modal escolhido para modernizar o transporte público de Cuiabá e Várzea Grande para a Copa do Mundo 2014, mas cujas obras estão paradas há mais de quatro anos.

A informação sobre essa alternativa para “viabilizar” o VLT foi divulgada pela coluna Radar, da Revista Veja. Mendes, no entanto, descartou a possibilidade e sustenta que ela não chegou a ser cogitada. “Não. Nunca houve uma conversa minha nesse sentido”, declarou, nesta terça-feira (28), durante inauguração do COT da UFMT, obra também projetada para o mundial de 2014.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp